Veículos elétricos


15 Jun
15Jun

Medida Provisória que reduzirá o IPI de 25% atualmente para 7%, o mesmo percentual cobrado dos carros com motor até 1.0 litro. Considerados como “outros”, os carros elétricos e híbridos pagam o mesmo que os veículos com motor acima de 2.0 e mais que os veículos diesel no geral, lembrando que veículos de chassi com essa motorização voltaram a pagar 15% de IPI.

Ou seja, os carros movidos totalmente ou parcialmente com energia elétrica pagam mais para poluir menos, quando na realidade deveria ser o contrário. A expectativa do governo é que a oferta desses tipos de carros aumente no País, mas como ainda se trata de um nicho bem pequeno – apenas 1.872 elétricos foram vendidos no Brasil em 2017 – não haverá um impacto significante na arrecadação fiscal, pelo menos inicialmente, o que funcionaria como uma forma de fomentar a tecnologia no país.

Mesmo sem a divulgação de uma MP para reduzir o IPI para elétricos e híbridos anteriormente, algumas montadoras já haviam confirmado lançamentos do segmento para o Brasil, começando a iniciativa em 2018. A Volkswagen não só confirmou um, mas dois produtos, sendo eles derivados híbrido plug-in e elétrico do mesmo modelo: Golf GTE e e-Golf.

A Nissan também confirmou o Novo Leaf, enquanto a Renault falou de um Kwid elétrico. A GM igualmente mencionou a chegada de um elétrico para este ano, sem confirmar exatamente o Chevrolet Bolt. A Toyota tem o Prius e fala em híbrido flex nacional, que pode ser o próximo Corolla. A BMW já vende o i3 e o i8, assim como outras marcas de luxo. A Jaguar tem até reserva aberta para seu crossover I-Pace, por exemplo.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.